Grupos de Pesquisa

Grupos de Pesquisa são formados por pesquisadores/professores e alunos em torno de um determinado tema, e registrados no Diretório dos Grupos de Pesquisa do CNPq.

Comunicação e Divulgação Científicas

Comunicação Científica, sob a abordagem da Ciência da Informação e com fundamentação na História e Sociologia da Ciência. Pesquisas em comunidades estrangeiras e brasileiras de C&T, abrangendo canais de comunicação e informação, inclusive eletrônicos.

Cultura e Processos Info-comunicacionais

Estudos sobre os processos info-comunicacionais nos ambientes locais da cultura e sua relação com as experiências interculturais, na perspectiva do uso e da apropriação social de conhecimentos no campo da saúde e áreas afins. A partir de uma abordagem relacional das questões info-comunicacionais, passou a estudar as correlações entre as redes sociais e as redes textuais.

Gênero, Ciência, Tecnologia e Sociedade

O Grupo aborda questões teóricas e produz análises empíricas relacionadas ao papel, acesso e contribuição das mulheres no setor de Ciência e Tecnologia no Brasil. Também se debruça sobre o acesso e uso das tecnologias de informação e de comunicação por mulheres em diferentes setores, idades e perfis sociais. Para isso, são utilizadas diferentes fontes e bases informacionais, organizadas não apenas por agências e institutos nacionais (como IBGE, CNPq, Capes e SCIELO), mas também instituições internacionais (como Unesco, Thomson/ISI, Elsevier/Scopus e US National Library of Medicine).

Gestão da Inovação

Em 2016, com 20 anos de Inovação e Empreendedorismo, temos a criação do Curso Lato Sensu em Gestão da Inovação, a primeira turma em março de 2017, a proposta para a CAPES do Programa de Pós Graduação em Gestão da Inovação, MESTRADO ACADÊMICO e DOUTORADO com um corpo docente de 17 doutores nas várias áreas do conhecimento. Na parceria ensino, pesquisa e extensão foi criado o Grupo de Especialistas em Educação Empreendedora, G3E com abrangência em várias áreas de atuação com professores doutores capacitados para disseminar a inovação e empreendedorismo nas suas áreas, como Medicina, Odontologia, Biologia, Oceanografia, Desenho Industrial, Engenharias, Nutrição, Química, Letras, Pedagogia e outras. A criação da política de Inovação com metodologia de prospecção da Inovação, modelos e acordos de licenciamento e transferência de Tecnologia. No ano de 2015 tivemos a criação da Incubadora ITECS. Em 26 de outubro deste ano a oitava edição do WCTI e a Câmara Técnica de Inovação em 11/2016.

Gestão do conhecimento em Ciências Nucleares

O grupo de pesquisa Gestão do conhecimento em ciências nucleares estuda soluções estratégicas para a preservação, compartilhamento e difusão dos conhecimentos produzidos, tendo como elemento norteador o desenvolvimento científico e tecnológico do país na área nuclear. Os estudos do grupo de pesquisa visam promover uma maior aproximação entre a Ciência, Tecnologia e Inovação na área nuclear e a sociedade, de forma precisa e transparente.

Informação e Saúde

GP desenvolve conhecimento sobre Informação e Tecnologia de Informação (ITI) em Saúde com o objetivo de promover sua qualificação e utilização tanto pelos gestores e profissionais de saúde quanto pela população, contribuindo para diminuir a exclusão digital no país. Abrange estudos sobre: Significado político, social, econômico e epistemológico da ITI em saúde nas sociedades contemporâneas; Desenvolvimento de metodologias de avaliação da gestão e produção da ITI em saúde e telessaúde; Redes colaborativas de produção de saberes e práticas em ITI e e-Saúde; Formação em gestão, produção e avaliação da ITI em saúde e e-Saúde; Inclusão Digital em Saúde através do uso e produção da informação em saúde pela população; Relações da sociedade no ciberespaço/cibercultura em torno do tema saúde; Rede de Pesquisa, Ensino e Inovação em e-Saúde; SIS, RES, PEP no contexto da Política Nacional de ITI em Saúde; Padronização e interoperabilidade; Ambiente de Informação para apoio à Decisão em Saúde.

Informação, Conhecimento e Mudança Sociotécnica

O Grupo de Pesquisa dirige-se para a compreensão do papel da informação e do conhecimento nos atuais processos de mudança sociotécnica, em suas dimensões político-institucional, produtiva e cultural. Situa as dinâmicas de cooperação e conflito em torno da produção, circulação e apropriação da informação e do conhecimento no cerne das formas de poder contemporâneas. Compreende as transformações científico-tecnológicas em curso - particularmente as novas tecnologias de informação e comunicação - como parte de um processo social mais amplo, em que informação, conhecimento e inovação assumem nova centralidade. Focaliza, nesse contexto, as novas dinâmicas territoriais e seus entrecruzamentos com as das redes sociotécnicas. Página do grupo de pequisa: http://www.liinc.ibict.br.

Informação, Conhecimento e Sociedade

Entendimento de como as transformações paradigmáticas referidas à revolução científico-tecnológica se desdobram, se alteram e se especificam nos países em desenvolvimento, envolvendo: 1) abordagem interdisciplinar das transformações contemporâneas na produção material e imaterial, com repercussões na organização econômica, social e política da sociedade; 2) formulação de um quadro referencial de análise adequado à realidade latino-americana e, particularmente, brasileira, não assumindo acriticamente modelos importados de "sociedades da informação" ou do conhecimento. Página do grupo de pesquisa: http://www.liinc.ibict.br.

Informação, Conhecimento, Inovação e Sustentabilidade Ambiental

O grupo se organiza em torno do tema da inovação e sustentabilidade ambiental e seus atravessamentos com as dinâmicas da informação, conhecimento e aprendizado. Esse tema central oferece as coordenadas para estudos e pesquisas na área de indicadores e políticas de ciência, tecnologia e inovação; redes e sistemas de informação; adoção e difusão de inovações nas organizações e territórios produtivos; inovação e sustentabilidade ambiental no contexto global/local; desenvolvimento vis-à-vis aspectos socioambientais.

Informação, Memória e Sociedade

O grupo busca analisar em perspectiva ampla as relações plurais existentes entre o processo de produção, circulação e controle da informação na sociedade contemporânea e aquele da memória em sua dimensão cultural e política. Destacamos a questão do acesso, reconhecimento e uso da informação e da memória enquanto elementos "estruturados e estruturantes" do conhecimento e dos saberes. Para tal, faz-se necessária a reflexão sobre o acesso e circulação da informação, seus usos e significações no âmbito das instituições-memória existentes. Se configuram como campos possíveis de investigação os arquivos, bibliotecas, museus e centros culturais enquanto "lugares de memória". Igualmente os portais e sítios eletrônicos, públicos ou privados, além de blogs e redes sociais. Nesse sentido, é mister a reflexão sobre o papel do documento "lato sensu" e das tecnologias de informação e comunicação (TICs) para as ações de produção e circulação da informação enquanto elementos norteadores de políticas e movimentos impetrados pela sociedade civil, de direito/dever à memória. Tais fenômenos não apenas produzem seus discursos, como podem se coadunar às releituras e reconfigurações de significados, representações e poderes relacionados aos usos da informação. Página do grupo de pesquisa: http://www.memoriaesociedade.ibict.br/.

Laboratório de Pesquisa em Governo e Negócios Eletrônicos

O e:lab é uma iniciativa da EBAPE, criada em março de 2001, para permitir à Escola pesquisar e acompanhar o estado-da-arte dos desafios impostos pelas mudanças constantes da economia moderna, apresentando e debatendo o uso estratégico da Tecnologia da Informação (TI) nas áreas pública e privada. Seus objetivos são pesquisar, de forma rigorosa e relevante, a ubiquidade das TIs em todas as facetas da gestão, seja pública ou privada, e investigar e testar novos modelos de gestão pública e empresarial propiciados pelo uso da TI, analisando essas questões de forma inter e transdisciplinar, fugindo ao culto à fragmentação. O grupo tem divulgado os resultaods de suas pesquisas em revistas científicas nacionais (RAP, RAE, RAM, RAC, Organizações & Sociedade etc.) e internacionais (Internet Research, Government Information Quarterly, Electronic Government: an International Journal, Journal of Intellectual Capital, Journal of Knowledge Management, Journal of Global Information Management, Interna

Organização do Conhecimento

As repercussões das atividades deste grupo se darão principalmente nas áreas de Gestão e Representação da Informação, Classificação do Conhecimento e no Ensino e Pesquisa em Ciência da Informação.

Perspectivas Filosóficas em Informação (Perfil-i)

O objetivo geral do grupo é promover o estudo dos clássicos da filosofia e das ciências humanas e sociais, investigando como podem contribuir para o debate atual em torno do amplo conjunto de questões relacionadas à informação e ao conhecimento, com ênfase nos fundamentos, imbricações e implicações de natureza ética, política e epistemológica da ciência, da tecnologia e da inovação.
Página do grupo de pesquisa: https://perfili.wordpress.com/

Programa de Estudos da Esfera Pública - PEEP

O Programa de Estudos da Esfera Pública - PEEP funciona desde 2000 na EBAPE/FGV, desenvolvendo conhecimentos, formando recursos humanos e prestando assessoria a diferentes instituições em relação aos temas desenvolvidos em suas linhas de estudos e pesquisas que são: Reforma do Estado e Governabilidade Democrática; Políticas Sociais, Cidadania e Exclusão; Poder local; Redes de Políticas; Atores Políticos; Inovação Social, Políticas Urbanas e de Inclusão social de favelas: Welfare State em Democracias Retardatárias. O objetivo geral do Programa é identificar as transformações nas relações entre Estado e Sociedade que fundam novas práticas orientadas à governabilidade democrática, por meio da institucionalização de espaços públicos que garantam a participação cidadã, plural e deliberativa.

Tecnologia de Informação e Sociedade

O grupo de pesquisa focaliza características e problemas relacionados à introdução e ao desenvolvimento da área de tecnologia de informação e comunicação (TIC) no país, assim como da ciência e tecnologia em geral. Aborda especificamente questões relativas à situação atual e perspectivas do trabalho e das ocupações nestas áreas visando a geração de indicadores e outras informações, através de análises de dados do IBGE, dados do CNPq e outros levantamentos. Aborda também aspectos do uso e do aprendizado das TICs, assim como da atividade de pesquisa em TIC.

Tecnologia Social

Tecnologia Social - TS O desenvolvimento de Tecnologia Social se apóia em processos de inovação e na inovação dos atores sociais que interagem desde os primeiros momentos na criação, em função de múltiplos critérios, científicos, técnicos, financeiros, mercadológicos, culturais, mas, sobretudo, endógenos aos locais e comprometidos com aspectos do real, freqüentemente tácitos, de conhecimentos que eles mesmos vão utilizar, no próprio lugar em que vão ser produzidos os bens e serviços que irão incorporá-los. A proposta da inovação articula uma lógica diferente da visão de oferta-demanda. Assim, a TS precisa se constituir como um processo de inovação do qual emirja um conhecimento criado para influir na evolução de problemas enfrentados pelo grupo de atores envolvidos. - Identificação e mobilização de interesses econômicos e vocações do local ? proposta de políticas descentralizadas (compartilhamento e protagonismo local) - Identificação e estimulo a dinâmicas locais (redes técnicas, sociais, institucionais e empresariais) A introdução de uma inovação confere poder sobre os processos de produção onde ela será aplicada; a repetição de aplicação de inovações técnicas dá poder aos grupos inovadores já que lhes concede iniciativa e capacidade de prosseguir inovando, preservando e ampliando a autonomia técnica. Isso tem mais valor que a possível acumulação de capital que poderá redundar de uma inovação. Tecnologia Social conforme estamos propondo não é alinhada com o ludismo já que aplica ciência e tecnologia na evolução dos problemas e nos esforços de inclusão das pessoas que não tem acesso aos espaços onde são gerados e disponibilizados os instrumentos das Tecnologias Convencionais.

Teoria, Epistemologia e Interdisciplinaridade da Ciência da Informação

Este grupo de pesquisa pretende: 1. Contribuir para a consolidação do campo científico da Ciência da Informação; 2. Favorecer e aprofundar as relações interdisciplinares, sobretudo com as áreas de Comunicação, Ciências da Computação, Epistemologia, Ciências do Conhecimento, Biblioteconomia, Museologia, Arquivologia, entre outras, ao mesmo tempo que matendo relações permanentes com todos os outros campos do conhecimento que formam de uma ou outra maneira, seu domínio de referencia ou aplicação; 3. Reconstruir,modelar, avaliar as novas configurações epistêmicas contemporâneas interdisciplinares, transdisciplinares, no contexto heterogêno das redes e de alianças interorganizacionais, oferecendo subsidios para: a) desenvolvimento de conhecimentos, metodologias e técnicas em áreas como Organização do Conhecimento, Representação da informação e Recuperação da informação; b ) desenvolvimento e avaliação de Sistemas e Serviços de informação; c)descrição e entendimento de redes de conhecimentos 4. Atualizar premissas e pressupostos que sustentam as negociações epistêmicas dos atores políticos contemporâneos nos novos cenários econômicos,tecnológicos e culturais da informação. Contextos historicos, economicos e sociais na construção do objeto dos estudos da informação